O lado bom das emoções "negativas"

Para que se quebre o tabu de que a Psicologia Positiva só defende a bandeira das emoções positivas e da positividade, vamos falar sobre a importância das emoções consideradas negativas.


A Ciência da Felicidade não fala desta felicidade de estarmos isentos de sofrimento e de adversidades, mas de um estado, segundo Todd B. Kashdan e Robert Biswas-Diener, chamado de INTEIREZA, ou um estado desejável, cuja felicidade é o efeito colateral deste estado.


A Psicologia Positiva entende que todas as emoções têm utilidade.


As emoções "negativas" são, no mínimo, um sinal de alerta para que o corpo e a mente se re-organizem, para que se faça um movimento que leve a uma pequena ou a uma grande mudança.


Elas estão ali para serem observadas, compreendidas, e para que se tire delas o melhor aprendizado.


Veja alguns exemplos:


- A inveja pode ser positiva se você transformá-la em inspiração. Se você tem inveja, é porque quer ser como a outra pessoa. Ao invés de atacá-la, utilize-a de exemplo para chegar onde você quer.


- A raiva pode ser benéfica, por exemplo, em casos de agressão física. Utilizar a raiva para denunciar o agressor, trará vários benefícios, inclusive, para a sociedade.


- A tristeza é positiva quando você olha para ela e toma alguma atitude para mudar o que não está bom.


Querer esconder a raiva, a inveja, a vergonha, a tristeza ou a culpa, só traz mais sofrimento. Você já deve ter ouvido esta frase: "fulano ficou doente de tanta mágoa que guardou". Pois é...


Isso não quer dizer que devemos chegar aos extremos, como deixar que tais emoções tomem conta de nós a ponto de praticarmos um ato de violência contra o outro ou contra nós mesmos. Mas tampouco devemos ignorá-las.


"pessoas capazes de usar toda sua gama de dons psicológicos naturais - as que ficam à vontade com o positivo e o negativo, e assim podem usufruir de toda a gama de emoções humanas - são as mais saudáveis e, muito frequentemente, as mais bem-sucedidas".

(Biswas-Diener e Kashdan, 2014)


O que é recomendado, segundo a Psicologia Positiva, é que você tenha um repertório maior de emoções positivas, pois ao sentirmos raiva, tristeza, frustração, inveja ou qualquer emoção "negativa" por muito tempo, causamos sérios riscos a nossa saúde. Da mesma forma, "fingir" uma emoção positiva por um longo período não é saudável. Um sorriso falso que não se transforma em uma emoção positiva causa o mesmo dano à saúde que o sentimento de raiva.


Já o sorriso genuíno, segundo estudos, ativa o Músculo Zigomático Maior. Nossos nervos enviam ao cérebro sinais que liberam neurotransmissores como a dopamina, endorfina e serotonina na corrente sanguínea. Estas substâncias ajudam a acalmar o sistema nervoso central e reduzem o batimento cardíaco e a pressão arterial.


As pessoas autênticas, que conseguem lidar com seu repertório emocional, compreendendo as emoções, acolhendo-as e transformando suas dores em aprendizado, conseguem chegar a este estado chamado de inteireza.


A dica que fica é: acolher as emoções "negativas", aprender com elas, movimentar-se, construir e aumentar o repertório de emoções positivas.


Até a próxima!


Cintia Suplicy

121 visualizações

© 2019 Todos os direitos reservados para Wiegrow.

  • Facebook Basic Black
  • Instagram Basic Black
  • Preto Ícone LinkedIn
  • Preto Ícone Spotify
  • Preto Ícone YouTube